Seja bem-vindx!
Acessar - Registrar

85: Oscar 2018 - Previsões Finais Conversa de Cinéfilo

(Tentarei fazer uma transmissão durante a cerimônia; confiram lá no canal do YouTube pelas 22h50. O link:

.)

Amigos do Cinema em Cena,

acho que nunca publiquei minhas previsões tão na última hora. Aliás, tão em última hora que nem sei por que estou publicando a não ser para manter a tradição. Infelizmente, a correria das últimas semanas, com a cobertura do Festival de Berlim, a viagem para Lisboa para participar do júri do Festin e ministrar uma masterclass e, claro, o fato de ter adoecido a ponto de ter que ir ao hospital me atrapalharam um pouco na publicação, mas... bom, antes tarde do que blábláblá. Além disso, este promete ser um ano bastante previsível, então não sei o que de novo eu poderia trazer à discussão (escrevi um pouco sobre como antecipar os vencedores no início do ano). Ressalto apenas que vocês não verão, nas justificativas para as previsões, argumentos como “porque é o melhor”, já que não é isto que necessariamente influencia as escolhas dos vencedores.

Dito isso, vamos às previsões.

 

Filme

Vai vencer: Três Anúncios para um Crime.

Explicando a escolha: Na realidade, nenhum dos favoritos deste ano percorreu um caminho típico, marcando ponto em todas as premiações obrigatórias. De uma forma ou de outra, todos fogem do padrão estatístico: Três Anúncios não teve seu diretor indicado; A Forma da Água não foi indicado para o SAG (Ensemble); Corra! não foi indicado a Montagem; Dunkirk não teve seu roteiro indicado; Lady Bird também foi deixado de fora em Montagem; etc, etc, etc. O que me faz apostar em Três Anúncios é o fato de ser tão popular com os atores, que compõem o maior braço da Academia, mas ignorar A Forma da Água e sua vitória no PGA é um risco danado. Por outro lado, há a (remota) possibilidade de Corra! se beneficiar da divisão entre os dois anteriores e conseguir um grande número de votos “2” e “3” na cédula preferencial, o que lhe daria a vitória. (Para entender o sistema de voto preferencial, leia este artigo que escrevi para o Submarino há três anos.)

Qual seria meu voto: Corra!

Surpresa que me agradaria: Trama Fantasma.

Se ganhar, eu mato um: O Destino de uma Nação.

 

Diretor

Vai vencer: Guillermo del Toro.

Explicando a escolha: A aposta mais segura da noite, provavelmente – mesmo que A Forma da Água não vença. Venceu o DGA, inclusive.

Qual seria meu voto: Jordan Peele, por Corra!

Surpresa que não me desagradaria: Paul Thomas Anderson, por Trama Fantasma.

 

 

Ator

Vai vencer: Gary Oldman.

Explicando a escolha: Ele venceu tudo até agora e há o fato de ser um ator veterano, admirado pelos colegas, e jamais ter ganhado.

Qual seria meu voto: Daniel Day-Lewis, por A Trama Fantasma.

 

Atriz

Vai vencer: Frances McDormand.

Explicando a escolha: Também venceu todos os prêmios precursores e é idolatrada pela classe, que vibra a cada uma de suas vitórias em antecipação ao seu discurso.

Qual seria meu voto: Frances McDormand

Surpresa que não me desagradaria: Saoirse Ronan.

 

Atriz Coadjuvante

Vai vencer: Allison Janney.

Explicando a escolha: Venceu o SAG, o BAFTA, o BFCAA, o Spirit... precisa mais?

Qual seria meu voto: Laurie Metcalf.

Surpresa que não me desagradaria: Lesley Manville.

 

Ator Coadjuvante

Vai vencer: Sam Rockwell.

Explicando a escolha: Este deveria ser o ano de Willem Dafoe. Tudo apontava para isso. Então, Rockwell chegou e levou o SAG, o BAFTA, o BFCAA e o Spirit. Fim.

Qual seria meu voto: Willem Dafoe.

Surpresa que não me desagradaria: Woody Harrelson.

 

 

Roteiro Adaptado

Vai vencer: Me Chame pelo Seu Nome.

Explicando a escolha: Além de ser uma das poucas oportunidades de evitar que o filme saia da cerimônia sem nada, é a primeira indicação do veterano James Ivory na categoria.

Qual seria meu voto: Me Chame pelo Seu Nome.

Surpresa que não me desagradaria: Logan.

Se vencer, eu mato um: Esse ano estou muito bonzinho; todos me agradam.

 

Roteiro Original

Vai vencer: Corra!

Explicando a escolha: Venceu BFCAA e – mais importante – o WGA. Além disso, como a probabilidade de Jordan Peele vencer como diretor ou produtor é pequena, esta é a única chance de a Academia prestigiar uma das maiores revelações do ano.

Qual seria meu voto: Corra!

Surpresa que não me desagradaria: Três Anúncios.

Se vencer, eu mato um: Falei que esse ano estou um doce.

 

Filme Estrangeiro

Vai vencer: Uma Mulher Fantástica

Explicando a escolha: Daniela Vega, Daniela Vega, Daniela Vega.

Qual seria meu voto: Uma Mulher Fantástica

Se vencer, eu mato um: Qualquer um que não seja Uma Mulher Fantástica.

 

Animação

Vai vencer: Viva – A Vida é uma Festa.

Explicando a escolha: Venceu tudo no Annie Awards.

Qual seria meu voto: Viva – A Vida é uma Festa.

Surpresa possível: Com Amor, Vincent, já que sua técnica de animação, inédita, é de fato fascinante, mesmo que o filme seja apenas mediano.

Se vencer, eu mato um: O Poderoso Chefinho, aquela aberração.

 

Fotografia

Vai vencer: Blade Runner 2049.

Explicando a escolha: Roger Deakins, gente. Não é possível que o maior diretor de fotografia da atualidade volte mais uma vez sem nada para casa.

Qual seria meu voto: Blade Runner 2049.

Surpresa que não me desagradaria: Mudbound.

 

Design de Produção

Vai vencer: A Forma da Água.

Explicando a escolha: O filme obviamente agradou a Academia – e sua construção visual representa um dos principais fatores por trás de seu apelo. Não seria coerente que, com 13 indicações, fracassasse justamente nestas categorias.

Qual seria meu voto: A Forma da Água.

Surpresa que não me desagradaria: Blade Runner 2049.

Se vencer, eu mato um: Dunkirk.

 

Figurino

Vai vencer: A Trama Fantasma.

Explicando a escolha: O filme se passa no mundo da alta costura e um dos elementos essenciais para acreditarmos naquele universo são, portanto, os figurinos – e, não à toa, venceu o BAFTA, o BFCAA e o Satellite.

Qual seria meu voto: A Trama Fantasma.

 

Montagem

Vai vencer: Baby Driver.

Explicando a escolha: Se o design de produção é o centro de A Forma da Água, a montagem e o som são os elementos essenciais de Baby Driver. Dito isso, Dunkirk se passa em três linhas temporais diferentes, é bem visto pela Academia e venceu prêmios importantes – e, portanto, não seria uma surpresa caso levasse a estatueta.

Qual seria meu voto: Baby Driver.

Surpresa que não me desagradaria: Eu, Tonya.

 

Maquiagem

Vai vencer: O Destino de uma Nação.

Explicando a escolha: Hein? Vocês viram o filme? Por melhor ator que seja, Gary Oldman não teria funcionado caso a maquiagem não fosse tão convincente.

Qual seria meu voto: O Destino de uma Nação.

 

Trilha Sonora

Vai vencer: A Forma da Água.

Explicando a escolha: Alexandre Desplat é sempre um forte candidato – e, desta vez, já chega com o BAFTA e o Critics Choice como precursores vencidos.

Qual seria meu voto: A Trama Fantasma.

Surpresa que me agradaria: Dunkirk.

 

Canção Original

Vai vencer: Remember Me?, de Viva – A Vida é uma Festa.

Explicando a escolha: O apelo emocional da música dentro do filme (que deve vencer como Melhor Animação) é inegável – mesmo que eu não a considere tão bela assim. Em contrapartida, como O Rei do Show tem duas músicas indicadas, não seria surpresa caso uma delas vencesse (provavelmente This is Me).

Qual seria meu voto: Me Chame pelo Seu Nome.

Se vencer, eu mato um: Qualquer um que não seja Me Chame pelo Seu Nome, o que significa que provavelmente já devo ir separando uma vítima lisbonense.

 

Som

Vai vencer: Dunkirk.

Explicando a escolha: Christopher Nolan quase sempre leva estes prêmios.

Qual seria meu voto: Dunkirk.

 

Edição de Som

Vai vencer: Dunkirk.

Explicando a escolha: Eu adoraria ser otimista e acreditar que os membros da Academia vão compreender como o uso de efeitos sonoros como constantes indicações musicais é brilhante em Baby Driver. Mas provavelmente Dunkirk vai levar aqui também.

Qual seria meu voto: Baby Driver.

Se vencer, eu mato um: Outro lisbonense pagará com sua vida pela ignorância da Academia, já que Baby Driver é minha única escolha nesta categoria.

 

Efeitos Visuais

Vai vencer: Planeta dos Macacos – A Guerra.

Explicando a escolha: Os dois anteriores perderam em seus respectivos anos; esta é a última chance da Academia de reconhecer a evolução do trabalho de motion capture e de animação das criaturas vistos na trilogia.

Qual seria meu voto: Planeta dos Macacos – A Guerra.

Surpresa que me agradaria: Guardiões da Galáxia Vol. 2.

 

Documentário

Vai vencer: Faces Places.

Explicando a escolha: A Academia vai desperdiçar a chance de premiar a indicada mais velha de sua História? E de ter a lendária Agnès Varda no palco? Especialmente depois que esta enviou um recorte de papelão de sua silhueta para o almoço dos indicados? Dito isso, Icarus é outra aposta forte.

Qual seria meu voto: Não vi todos os indicados e me absteria.

 

Curta Live Action

Vai vencer: DeKalb Elementary.

Explicando a escolha: Combina o 11 de Setembro com tiroteios em escolas. Tematicamente, é uma pancada.

Qual seria meu voto: Vi apenas dois dos curtas e não votaria.

 

Curta Documentário

Vai vencer: Heroin(e)

Explicando a escolha: Basicamente, tem sido o mais falado ao lado de Edith+Eddie. Chutei entre os dois.

Qual seria meu voto: Vi apenas um dos indicados e não votaria.

 

Curta Animação

Vai vencer: Dear Basketball.

Explicando a escolha: Kobe Bryant é uma lenda, um medalhista olímpico. Em todas as suas aparições durante a temporada de premiações, os atores/atrizes/diretores/produtores que o viam enlouqueciam.

Qual seria meu voto: Só vi dois dos indicados e não votaria.

 

Um grande abraço e bom Oscar

Sobre o autor:

Pablo Villaça, 18 de setembro de 1974, é um crítico cinematográfico brasileiro. É editor do site Cinema em Cena, que criou em 1997, o mais antigo site de cinema no Brasil. Trabalha analisando filmes desde 1994 e colaborou em periódicos nacionais como MovieStar, Sci-Fi News, Sci-Fi Cinema, Replicante e SET. Também é professor de Linguagem e Crítica Cinematográficas.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Você também pode gostar de...

Conversa de Cinéfilo
63 - 2012 em Números e Estrelas
Conversa de Cinéfilo
52 - 2009 em Números e Estrelas
Conversa de Cinéfilo
82 - Oscar 2017: Previsões Finais