Seja bem-vindx!
Acessar - Registrar

Videografia GARBAGE Cineclipado

Desde 1993 em sua formação original, o Garbage segue com sua bem sucedida mistura de rock e batidas eletrônicas. A vocalista Shirley Manson, acompanhada pelos fiéis Steve Marker, Butch Vig e Duke Erikson, estrela os videoclipes que, além da peculiar sonoridade, construíram uma imagem forte para o grupo.

Nas telas, Shirley participou da série O Exterminador do Futuro: Crônicas de Sarah Connor e fez uma ponta em Jogos de Interesses (2012), com Rob Lowe. A música "#1 Crush" é um dos pontos altos da sensacional trilha sonora de Romeu + Julieta (1996) e "The World Is Not Enough" é o tema de 007 – O Mundo Não É O Bastante (1999). A repetitiva "Tornado" toca em Lembranças (2010), com Robert Pattinson, e a erótica "Sleep Together", em Amor e Outras Drogas (2010).

Samuel Bayer (A Hora do Pesadelo, de 2010), depois de experiências como sua estreia no anarquista e divisor de águas "Smells Like Teen Spirit" (1991), do Nirvana, dirigiu o nada óbvio e sem uma gota de chuva real "Only Happy When It Rains" (1995). Em um estranho galpão abandonado, os membros fazem uma bagunça com rolos de filme, cercados por soturnos seres mascarados sob um amarelo céu nublado.

Também são dele "Vow" (1995) e "Stupid Girl" (1996), que apareceu quase uma década depois na trilha de Em Seu Lugar (2005), com Cameron Diaz e Shirley MacLaine. E se o clipe dessa última música lhe parece familiar, é porque sua estética foi inspirada nos créditos iniciais de Seven: Os Sete Crimes Capitais (1995).

"Queer" (1995) foi filmado pela subjetiva câmera na mão de Stéphane Sednaoui, que, assim como o rapaz do vídeo, alega também já ter sido “cortado em pedaços” por uma bela mulher. Mais tarde, o diretor criou o ora desfocado, ora iluminado "Milk" (1996) e o sexy "You Look So Fine" (1999), com o ator da série Baywatch e campeão de surf Kelly Slater, velado com cuidado por Shirley para compensar os requintes de crueldade de que ela já provou ser capaz. Outro clipe rodado em preto e branco desta época foi o ótimo "I Think I'm Paranoid" (1998).

Realizado pelo fotógrafo italiano Andrea Giacobbe, "Push It" (1998) tem uma atemporalidade intencional na montagem que condiz com as pretensões musicais do Garbage. Segundo Shirley, “você não vai conseguir definir de qual época este vídeo é". As locações são um supermercado, um hospital e um cemitério. Ao lado de uma figura distorcida, a vocalista caminha entre personagens bizarros como um homem com uma lâmpada na cabeça, um cervo de pelúcia e alienígenas siameses humanóides.

Na próxima fase, consideravelmente mais pop, Shirley sai de um quadro na parede para encarnar uma taxista de cabelo curtíssimo em "Androgyny" (2001) e fica loira e estridente em "Cherry Lips" (2001), em que o diretor Joseph Kahn (Fúria em Duas Rodas) aplica um efeito interessante de corpos invisíveis. Já o futurista "Breaking Up the Girl" (2002) é do cineasta Francis Lawrence, da franquia Jogos Vorazes.

Além do purpurinado "When I Grow Up", mérito da comédia com Adam Sandler O Paizão (1999), Sophie Muller foi responsável pela maioria dos clipes do Garbage, inclusive todos criados a partir do disco Bleed Like Me (2005). "Why Do You Love Me" (2005) reinaugura em seu início a recorrente marca registrada da ausência de cor. Shirley é a enfermeira em um hospital sem pacientes em "Bleed Like Me" (2005), é retirada do palco por policiais depois de um topless censurado no show em "Sex Is Not the Enemy" (2005), camufla-se pelas ruas, toma metrô, assalta um supermercado e joga tarô de peruca no divertido "Run Baby Run" (2005), além de atuar com a banda em uma verdadeira novela mexicana em "Tell Me Where It Hurts" (2007).

Muller coordenou ainda a gravação em estúdio dos singles "Because the Night" (2013), cover de Patti Smith, e "Girls Talk" (2014), com a ex-integrante da banda The Distillers, Brody Dalle (as duas depois repetiram o dueto e ganharam uma incrível animação). A diretora também é responsável por filmar jovens dançando em pubs londrinos para a faixa "The Chemicals" (2015), excepcionalmente sem os membros do Garbage como protagonistas.

Do disco mais recente, Not Your Kind of People (2012), "Sugar" pode ser ouvida na série The Following. Os clipes "Blood for Poppies" e o sacro "Big Bright World" comprovam que o grupo, outrora colorido, tornou-se quase monocromático, como o cinema em suas primeiras décadas. Um toque mais comercial é alinhado ao inconfundível padrão de guitarra, e as notas pesadas e melancólicas estão agora mais moderadas. Mesmo sem a vitalidade e o impacto iniciais, eles ainda soam bastante interessantes e novos ou velhos fãs podem redescobrir o Garbage.

--
Deixe sua opinião nos comentários abaixo e compartilhe com os amigos!

Sobre o autor:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Você também pode gostar de...

Cineclipado
Confira o vídeo da cover de "Immigrant Song", por Karen O
Cineclipado
Bill Murray canta e dança em videoclipes
Cineclipado
Veja o novo clipe da banda Phoenix dirigido por Sofia Coppola