Seja bem-vindx!
Acessar - Registrar

As cinco melhores danças de 2015 Clube dos Cinco

2015 está chegando ao fim e as retrospectivas já começaram. Com várias pessoas realizando suas listas de melhores e piores filmes, nós decidimos focar em algo que marcou alguns dos principais lançamentos deste ano: as danças. Momentos em que os personagens arriscam uma coreografia são arriscados e podem dar muito certo (Pulp Fiction) ou muito errado (Homem-Aranha 3), mas 2015 definitivamente foi um grande ano para quem não tem vergonha de se soltar na pista.

 

MAGIC MIKE XXL
2015
Diretor: Gregory Jacobs

Dedicado a um pouco promissor negócio independente, Mike (Channing Tatum) mal consegue negar seu instinto de dançarino. Em nome dos bons tempos de Magic Mike (2012), ele e os amigos strippers pegam a estrada rumo a uma convenção em Myrtle Beach. Em uma das paradas do road movie, Big Dick Richie (Joe Manganiello) é desafiado pelos bons companheiros a arrancar um sorriso de uma apática operadora de caixa. Tendo uma loja de conveniência como cenário, ao som da nostálgica “I Want It That Way” (1999), dos Backstreet Boys, Richie exibe os muitos músculos na camisa cavada do Metallica, improvisa um agachamento para amarrar o tênis, explode um pacote de Cheetos (enquanto os outros caras pulam exultantes lá fora) e se refresca sensualizando com uma garrafinha de água.

O hilário striptease parcial, além de converter o dia da moça em um sonho, certamente causou muita inveja na plateia feminina e masculina ou no mínimo deixou todo mundo com uma sede súbita.

 

O AGENTE DA U.N.C.L.E.
The Man from U.N.C.L.E., 2015
Diretor: Guy Ritchie

O novo filme de Guy Ritchie adapta a série de televisão homônima da década de 1960 e mostra o agente norte-americano Napoleon Solo (Henry Cavill) e o espião soviético Illya Kuryakin (Armie Hammer), um da CIA e o outro da KGB, unindo forças em uma missão conjunta para derrotar uma misteriosa organização criminosa que está interessada na produção de armas nucleares. Obrigados a deixar de lado as hostilidades da Guerra Fria, os dois precisam da ajuda de Gaby Teller (Alicia Vikander), filha de um cientista alemão desaparecido cujo conhecimento está sendo usado pela organização.

A cena abaixo revela a tensão entre Illya, que tenta jogar xadrez, e Gaby, que prefere dançar de óculos escuros ao som de “Cry To Me” (1962), de Solomon Burke. O relutante espião se entrega um pouco à romântica situação e acaba recebendo alguns (apaixonados) tapas.

 

EX-MACHINA: INSTINTO ARTIFICIAL
Ex Machina, 2015
Diretor: Alex Garland

Em Ex-Machina, Caleb (Domhnall Gleeson) é funcionário da maior empresa de internet do mundo e tem a chance de passar uma semana em um refúgio nas montanhas que pertence a Nathan (Oscar Isaac), o recluso CEO da organização. Ao chegar lá, Caleb descobre que participará de um estranho e fascinante experimento que envolve sua interação com a primeira inteligência artificial do mundo: uma bela garota robótica interpretada por Alicia Vikander.

Como o próprio Nathan explica, uma AI não pode apenas jogar xadrez, ela precisa ter a consciência de que está jogando xadrez. Não basta ser especialista em cores, é preciso ter a sensação de enxergá-las. E, claro, mais do que repetir movimentos corporais, é obrigatório “arrasar na pista de dança”. Em um dos melhores momentos da trama, que consegue dar um pouco de leveza à tensa ficção científica, Nathan apresenta uma memorável coreografia ao lado de sua assistente Kyoko (Sonoya Mizuno), embalados pelo som de “Get Down Saturday Night” (1983), de Oliver Cheatham.

 

MIA MADRE
2015
Diretor: Nanni Moretti

Nanni Moretti, além de dirigir e coescrever o roteiro semi-autobiográfico de Mia Madre, atuou como Giovanni, irmão de Margherita (Margherita Buy), uma diretora muito sensibilizada pela doença da mãe Ada (Giulia Lazzarini) e preocupada com a filha adolescente Livia (Beatrice Mancini). Um dos papéis principais de seu filme "Noi siamo qui" (Nós estamos aqui) é do famoso ator norte-americano de descendência italiana Barry Huggins (John Turturro), a princípio petulante e relutante a executar as decisões da cineasta, mas que aos poucos passa a ser compreendido e estimado ao demonstrar suas fragilidades e limitações.

No aniversário de Barry, a equipe o surpreende com “Parabéns pra Você” em inglês, uma pizza, uma vela e algumas garrafas de espumante. Embalado pelas palmas de todos ao redor e pela música indiana “Charisma” (2009), de Cinzia Donti e Isabella Colliva, o satisfeito Barry tira para dançar uma senhora com seu xale, e os dois realizam divertidos movimentos espelhados. A cena resultou em um belo toque de descontração e alívio cômico em meio à desolação vivida pela protagonista do longa, aplaudido durante quase oito minutos no Festival de Cannes de 2015.

 

ENQUANTO SOMOS JOVENS
While We're Young, 2015
Diretor: Noah Baumbach

Enquanto Somos Jovens confronta o tradicional e o moderno espelhados nas atitudes e preferências de duas gerações. O documentarista Josh (Ben Stiller) tenta concluir seu filme há quase uma década. Já Cornelia (Naomi Watts) não se identifica com as amigas de sua idade, conservadoras e infantilizadas pela maternidade. Porém, o casal reencontra inspiração ao conhecer dois jovens hipsters saudosistas, apaixonados por tudo que pertence ao passado.

Jamie (Adam Driver) é um aluno aspirante à cineasta que se diz admirador do trabalho de Josh. Sua namorada Darby (Amanda Seyfried) leva a nova amiga a uma de suas aventuras para fugir da rotina, uma aula de hip hop. No início, Cornelia se vê perdida entre os passos sincronizados dos demais, mas aos poucos se deixa levar pelo ritmo, encontra seu jeito de dançar e gosta tanto que pratica a seu modo os movimentos aprendidos em casa. Amanda Seyfried considera a sequência a sua predileta no longa e Noah Baumbach admite ter filmado Naomi com "lágrimas nos olhos" provocadas pelos risos.

 

Menções Honrosas (observação: a maioria dos filmes é de 2014, mas só foi lançada no Brasil em 2015)

* 118 Dias (2014), de Jon Stewart
* Dívida de Honra (2014), de Tommy Lee Jones
* Garotas (2014), de Céline Sciamma
* James Brown (2014), de Tate Taylor
* Promessas de Guerra (2014), de Russell Crowe
* Rio Perdido (2014), de Ryan Gosling
* Samba (2014), de Olivier Nakache e Eric Toledano
* Um Pombo Pousou num Galho Refletindo sobre a Existência (2014), de Roy Andersson
* Bata Antes de Entrar (2015), de Eli Roth
* Cada Um na Sua Casa (2015), de Tim Johnson
* Cinderela (2015), de Kenneth Branagh

 

Extra: Neste ano, Jean-Claude Van Damme recriou a clássica e cômica dança de Kickboxer - O Desafio do Dragão (1989)! Confira:

--
Agora é a sua vez! Deixe sua contribuição para o nosso clube nos comentários abaixo e compartilhe com os amigos! Lembrou de alguma outra cena de dança marcante em 2015?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Você também pode gostar de...

Clube dos Cinco
Cinco vizinhos que trazem problemas
Clube dos Cinco
Cinco filmes brasileiros mais aguardados para 2014
Clube dos Cinco
Cinco trilhas sonoras que usam covers de músicas famosas