Seja bem-vindx!
Acessar - Registrar

Cena Geek Review: Dead Island Definitive Collection Cena Geek

Dead Island teve seu primeiro jogo lançado em 2011, e com uma temática utilizando zumbis como background. O belíssimo jogo retorna, agora remasterizado e com todas as edições da franquia.  Dead Island Definitive Collection é uma compilação que inclui Dead Island Definitive Edition, Dead Island Riptide Definitive Edition e o mais novo Dead Island Retro Revenge!.

Uma aventura com uma atmosfera envolvente, com muitos zumbis e exploração, Dead Island permanece um RPG de jogabilidade ágil, survival horror em primeira pessoa que insere o jogador em uma ilha - mundo aberto - infestada por zumbis. Nesta coleção, a Techland e Deep Silver se utilizam de uma narrativa já conhecida para a temática, sem muita inovação, mas atingem em cheio os fãs de um apocalipse zumbi.

Em Dead Island o jogador é inserido em uma ilha, sem saber sobre o que ocorreu e precisará resolver algumas missões enquanto é surpreendido por ordas de zumbis. Como um dos sobreviventes, é possível escolher entre 5 personagens. O jogador então realizará quests e side-quests, que darão pontos de XP para subir de nível, como todo bom RPG.

Os ambientes encontrados em Dead Island são um dos pontos marcantes, ainda que povoado por mortos-vivos. Exuberantes e atrativos, cada área da ilha é passível de exploração. Isso inclui objetos, casas, todos os itens deixados para trás durante o ocorrido.

 

 

Os zumbis dividem o jogador em dois sentimentos: diversão e pavor. O primeiro porque há diferentes formas de se matar um deles. Machados, katanas, armas eletrificadas estão na lista, que só aumenta se você for criativo, pois o crafting é um dos pontos interessantes de Dead Island. O segundo sentimento se deve aos sustos constantes que você poderá levar ao se arriscar explorando a ilha. Há zumbis saltando de arbustos, cantos escuros ou mesmo em ótima forma física, pois são atléticos e correrão como pessoas normais atrás do jogador.

 

 

O jogo consegue nessa remasterização, uma melhoria gráfica e ajuste de diversos bugs, mas ainda apresenta alguns, como os AI’s dos zumbis presos em obstáculos dos cenários ou sumindo repentinamente. A taxa de framerate também é um fator que mesmo remasterizado, incomoda por não passar os 30 quadros por segundo. A mecânica central não foi modificada, mas é um título relevante para o gênero.

Dead Island Riptide, que também passou pela remasterização, sem grandes alterações, complementam a história do primeiro jogo da franquia. A Techland mantém a mesma jogabilidade, contando mais sobre a jornada daqueles personagens, sem complicações na narrativa.

 

Um destaque para Dead Island Definitive Collection é o novo beat’em up, sidescrolling, Dead Island Retro Revenge! . Um jogo de estética retro, com um apelo visual estilo Double Dragon, 16 bits, que fará alguns jogadores passarem um tempo despretencioso matando mortos-vivos. Seu personagem central é um caricato gordinho - podería compará-lo ao Jack Black - que tenta salvar seu gato. Mesmo que repetitivo, o jogo é divertido o suficiente para marcar a coleção.


Dead Island Definitive Collection é um jogo divertido, apropriado os fãs de apocalipse zumbi, melhorado e com cenários ainda mais incríveis na versão remasterizada. De uma forma geral, é um jogo de mecânica simples, para entreter qualquer jogador com sustos ocasionais.

 

Sobre o autor:

Nascida no Rio de Janeiro, está em São Paulo há 5 anos e recentemente se formou em Game Design. Apaixonada pelo mundo dos games, desde pequena era considerada a nerd e geek.

Aqui no Cena Geek escreverá sempre sobre notícias desses universos, abordando também tecnologia, fatos interessantes sobre jogos e assim por diante.

Colabora em paralelo para os sites Meia Lua Para Frente Soco e FreakPop com a coluna "Pensando com Portais", focada em jogos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Você também pode gostar de...

Cena Geek
Cena Geek Review: Rocket Fist
Cena Geek
Cena Geek jogou o beta de Overwatch. Confira!
Cena Geek
Cena Geek Review: Dark Sous III