Seja bem-vindx!
Acessar - Registrar

David Fincher e a estética noir em seus vídeos Cineclipado

Garota Exemplar (2014) estreou no começo de outubro nos cinemas e a trilha sonora do filme mantém a duradora parceria do produtor musical Trent Reznor com o diretor David Fincher, já detalhada no Cineclipado, em 2011.

No mesmo ano, apareceram na coluna os clipes de "Janie's Got a Gun" (1989), do Aerosmith, e "Freedom '90" (1990), de George Michael, dirigidos pelo cineasta. Porém, a despedida não foi com “Only” (2005), do Nine Inch Nails. Ano passado, nós noticiamos “Suit & Tie” (2013), feito para Justin Timberlake. Neste vídeo, Fincher retoma uma predileção de longa data, também evidente em "6th Avenue Heartache" (1996), da banda The Wallflowers. O uso do preto e branco é uma marca registrada do diretor em seu trabalho com videoclipes, cuja lista é longa.

Em meio aos anos 80, o diretor já demonstrava traços de um impressionante minimalismo, com apenas uma cor vibrante em contraste – técnica mais tarde utilizada por Robert Rodriguez e Frank Miller em Sin City (2005) – como notamos em “Celebrate Youth” (1984), de Rick Springfield:

Fincher continuou dirigindo clipes de bandas alternativas, entre eles “Shame” e “Shock”, do grupo The Motels. A vocalista Martha Davis, em carreira solo, abriu mão dos excessos oitentistas e optou por incorporar cenas em P&B em “Tell It To the Moon” (1988):

A mesma “anti-tendência” foi seguida por Patty Smyth (não confunda com a eterna Patti Smith!) em “Downtown Train” (1987):

E a fórmula foi repetida com Sting em “Englishman in New York” (1988):

Ainda na saturada década de 80, Paula Abdul dançou em dois vídeos que exploram o sóbrio recurso de filmagem: "Forever Your Girl" e "Straight Up"(1989).  

De Madonna, “Oh Father” (1989) e a obra-prima “Vogue” (1990) são mais duas peças da coleção “noir” de David Fincher:

“Bad Girl” (1993), apesar de colorido, remete à estética e aos roteiros dos suspenses policiais dos anos 40, e não só a julgar pelas nuvens de fumaça dos cigarros dos personagens. Na trama que se passa em Manhattan, Madonna tem um galante Christopher Walken como anjo protetor:

E por falar no estilo, Billy Idol usa e abusa das femme fatales em "Cradle of Love" e "L.A. Woman" (1990).

Na lista de Fincher não poderia faltar um dos nomes mais notáveis da indústria pop, o rei Michael Jackson, revelando um lado mais introspectivo em “Who Is it?” (1992): 

O clipe de “Love is Strong” (1994), dos Rolling Stones, ganhou o Grammy por seus impressionantes efeitos de proporção, no intuito bem executado do diretor ao fazê-lo “maior que a vida”:

Após filmar Clube da Luta (1999), Fincher foi responsável pelo clipe de “Judith” (2000), do A Perfect Circle, projeto de Maynard James Keenan, hoje frontman do Puscifer. As duas bandas foram aguardadas atrações do festival Lollapalooza Brasil 2013.

Um caso curioso é que David Fincher ofereceu a Maynard, já visto em alguns filmes B, um papel de destaque em O Quarto do Pânico (2002). No entanto, o músico recusou a proposta por estar muito envolvido com sua banda mais cultuada pelos fãs, o TOOL. Mas certamente os vídeos do TOOL merecem um Cineclipado só para eles.

--
OUTRAS EDIÇÕES DA COLUNA 

Sobre o autor:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Você também pode gostar de...

Cineclipado
Nash Edgerton dirige clipe de Bob Dylan inspirado pelos filmes noir
Cineclipado
Jake Gyllenhaal é uma máquina de matar
Cineclipado
Ray Liotta e os videoclipes