Seja bem-vindx!
Acessar - Registrar

A JANELA ABERTA, de Philippe Barcinski Curta em Cena

Philippe Barcinski, diretor carioca de longas-metragens como Não Por Acaso (2007) e Entre Vales (2012), lançou em 2002 o inspirado curta A Janela Aberta.

Com toques de O Inquilino (1976), de Roman Polanski, a trama apresenta um homem (Enrique Diaz) que, deitado na cama antes de dormir, tenta se lembrar se fechou a janela da sala. É uma situação simples e capaz de acontecer com qualquer um. Porém, quando o protagonista começa a trocar os dias e seus respectivos acontecimentos, notamos a confusão que domina a sua mente.

Revelando a força da montagem ao seguir a lógica de um fluxo de pensamentos rápidos e embaralhados, o filme traz um personagem de certa forma aprisionado na rotina diária de fazer um sanduíche, lavar os pés, ajeitar o quadro, limpar a estante, etc. Seu apartamento, onde ele demonstra seu transtorno obsessivo compulsivo, também o aprisiona e pode representar sua própria mente já exibindo sinais de desgaste (a infiltração na parede). Consequentemente, a janela aberta que o homem insiste em fechar, mas nunca tem certeza se realmente fez isso, simboliza talvez sua psicopatia querendo se libertar.

Indicado à Palma de Ouro de Melhor Curta no Festival de Cannes, o divertido e também perturbador A Janela Aberta foi premiado com o Troféu Candango de Melhor Montagem do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e com o Prêmio de Melhor Curta no Festival Internacional de Cinema de Chicago.

Confira:

--
Gostou do curta? Dê sugestões nos comentários abaixo para as próximas edições da coluna!

Sobre o autor:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Você também pode gostar de...

Curta em Cena
A Handy Tip for the Easily Distracted, de Miranda July
Curta em Cena
CONDAMNÉ, de Nganji
Curta em Cena
RAKKA, FIREBASE e ZYGOTE, de Neill Blomkamp