Seja bem-vindx!
Acessar - Registrar

Críticas por Pablo Villaça

Datas de Estreia: Nota:
Brasil Exterior Crítico Usuários
11/05/2001 03/11/2000 3 / 5 3 / 5
Distribuidora

Lendas da Vida
The Legend of Bagger Vance

Dirigido por Robert Redford. Com: Matt Damon, Will Smith, J. Michael Moncrief, Charlize Theron, Bruce McGill, Joel Gretsch, Harve Presnell e Jack Lemmon.

Lendas da Vida, novo filme de Robert Redford, pode ser considerado uma empreitada bem-sucedida, já que narra uma história agradável que prende a atenção do espectador durante toda a sua duração. Em contrapartida, também pode ser interpretado como um fracasso, já que, no final das contas, revela-se incapaz de despertar a emoção de quem o assiste - o que era um dos objetivos óbvios do cineasta.

Baseado em um livro de Steven Pressfield, o filme gira em torno de Rannulph Junuh (Damon), um rapaz que, aos 16 anos, é consagrado como um dos golfistas mais promissores de sua época. Depois de lutar na Primeira Guerra Mundial, no entanto, ele torna-se um alcoólatra e abandona a noiva, a bela e rica Adele Invergordon (Theron), e o golfe. Vários anos depois, Junuh é convocado pelos habitantes de Savannah, sua cidade natal, para disputar um torneio organizado justamente por Adele, que está tentando recuperar seus bens depois que o pai cometeu suicídio durante a Grande Depressão. Sem confiar no próprio talento, o rapaz passa a contar com o auxílio de um sujeito misterioso, Bagger Vance (Smith), que utiliza o jogo como verdadeira metáfora da vida.

Sempre competente, Redford leva a sério a palavra `lenda` presente no título de seu filme e confere um clima fantasioso à história, desde a elaboração caricata de alguns personagens até os diálogos rebuscados - em certo momento, alguém chega a dizer: `Corra, garoto! Vá com as asas do vento em teus pés!`. Além disso, a bela trilha instrumental da sempre eficaz Rachel Portman ajuda a estabelecer um clima de cômica euforia em algumas seqüências que, de outra maneira, provavelmente assumiriam contornos dramáticos, como na cena em que Junuh e Adele discutem seu passado. Aliás, até mesmo a introdução de Bagger Vance na história é feita de maneira enigmática, como se este surgisse do nada.

Outra proeza de Lendas da Vida é fazer com que o espectador não-familiarizado com as regras do golfe se interesse pelas estratégias adotadas pelos jogadores retratados no filme e pela própria mecânica da disputa. Assim, mesmo sem compreender o significado de termos como duffs, tops ou skulls, a platéia acaba se envolvendo no jogo e, conseqüentemente, com a história. Além disso, as tomadas nas quais acompanhamos o `ponto de vista` da bola são belíssimas, mesmo que se tornem repetitivas com o passar do tempo.

Infelizmente, o roteiro de Jeremy Leven falha no desenvolvimento dos personagens, que parecem esquemáticos demais: temos o mocinho que precisa enfrentar seus traumas; a mocinha determinada a superar as adversidades; o homem sábio que encerra grandes conhecimentos em seu jeito simples; e assim por diante. Para complicar ainda mais, o roteirista se esquece de estabelecer algum personagem com quem o espectador possa se identificar, já que Junuh jamais se deixa desvendar e Vance é, obviamente, um ser `espiritual` que ali está para ensinar. A única alternativa neste caso seria a identificação com o garotinho Hardy Greaves (o ótimo J. Michael Moncrief), que se tornará o narrador da história. Porém, este jamais abandona o posto de mero observador. Com isso, Lendas da Vida se torna um filme `impessoal`, impedindo nosso pleno envolvimento emocional com a trama.

E isso é uma pena, já que esta produção conta com excelentes atuações de todo o elenco e com uma belíssima fotografia do veterano Michael Ballhaus, que já havia colaborado com Redford em Quiz Show - A Verdade dos Bastidores. Quando a história chega ao fim, porém, a impressão que fica é a de que Lendas da Vida percorreu um longo caminho e não chegou a lugar algum. E sua aparente falta de propósito representa, indubitavelmente, sua grande fraqueza.
``

25 de Maio de 2001

Pablo Villaça, 18 de setembro de 1974, é um crítico cinematográfico brasileiro. É editor do site Cinema em Cena, que criou em 1997, o mais antigo site de cinema no Brasil. Trabalha analisando filmes desde 1994 e colaborou em periódicos nacionais como MovieStar, Sci-Fi News, Sci-Fi Cinema, Replicante e SET. Também é professor de Linguagem e Crítica Cinematográficas.

 

Para dar uma nota para este filme, você precisa estar logado!