Seja bem-vindx!
Acessar - Registrar

102 - Oscar 2024: Previsões Conversa de Cinéfilo

Amigos do Cinema em Cena,

A primeira vez em que escrevi um texto com minhas previsões para o Oscar foi em 1998, quando Titanic levou quase tudo que era possível. Desde então, praticamente todos os anos sigo esta tradição particular, embora durante a pandemia tenha ficado um pouco desestimulado a fazê-lo.

Mas já passou da hora de voltar a ela. Então voltemos:

FILME

Vai vencer: Oppenheimer

Explicando a escolha: O Oscar é um prêmio de indústria e Oppenheimer foi um sucesso de bilheteria que ainda conta com vários pontos que costumam favorecer os eventuais ganhadores: é um filme de época, uma biografia, lida com um tema sério, tem um elenco gigantesco (o maior braço da Academia é o de Atuação; seus membros amam projetos com grandes elencos), foi dirigido por um cineasta que muitos consideram que já deveria ter sido premiado há tempos (além de ser um defensor da exibição na tela grande), foi indicado em 13 categorias (o que indica que tem muitos admiradores em todos os braços da Academia) e tem longa duração (estatisticamente, outra coisa que a Academia adora). Além disso, venceu todos os prêmios considerados precursores: PGA, SAG (Melhor Elenco; equivalente a Melhor Filme), BAFTA, DGA, Critics Choice, tudo. A última vez em que uma produção juntou tantos cinturões ocorreu em 2013, com Argo. Que venceu o Oscar.

Qual seria meu voto: Assassinos da Lua das Flores

Surpresa que me agradaria: Pobres Criaturas ou Zona de Interesse

Se ganhar, eu mato um: Mesmo Maestro, inquestionavelmente o mais fraco da lista, não chega a ser um desastre colossal como Green Book ou Coda, que venceram a premiação. Dito isso, se um longa mediano derrubar nove grandes obras, é para desistir do Oscar de vez.

 

DIRETOR

Vai vencer: Christopher Nolan, por Oppenheimer

Explicando a escolha: Em diversas edições do Oscar, a divisão de prêmios entre Filme e Direção é quase certa; não é o caso em 2024. Nolan venceu o DGA, o BAFTA e o Critics Choice; fez discursos humildes em todos; é admirado pela indústria e muitos consideram que já deveria ter vencido há muito tempo.

Qual seria meu voto: Martin Scorsese, Assassinos da Lua das Flores

Surpresa que me agradaria: Jonathan Glazer, por Zona de Interesse

Se ganhar, eu mato um: Todos os indicados merecem estar na lista e eu ficaria feliz com qualquer um.

 

ATRIZ

Vai vencer: Lily Gladstone, por Assassinos da Lua das Flores

Explicando a escolha: Esta é uma das categorias que geram suspense em 2024. Entre os prêmios precursores, Emma Stone venceu o BAFTA (Gladstone nem foi indicada). Como seus respectivos filmes estão em categorias diferentes (Drama e Comédia), ambas venceram o Critics Choice. Mas a vitória de Gladstone no SAG é um critério de desempate importante, já que na maior parte das vezes quem leva o The Actor (o inspiradíssimo nome da estatueta do SAG) leva também o Oscar. Mas nem sempre. E, claro, há quem diga que as duas podem dividir os votos, permitindo uma surpresa representada por Annette Bening (que nunca venceu) ou mesmo por Sandra Hüller. Mas não creio muito nisso.

Qual seria meu voto: Lily Gladstone, por Assassinos da Lua das Flores. Mas amo a performance de Stone.

Surpresa que não me desagradaria: Sandra Hüller, por Anatomia de uma Queda

Se ganhar, eu mato um: Todas as indicadas estão excelentes em seus filmes, mesmo quando estes não fazem jus às suas performances (como Nyad).

 

ATOR

Vai vencer: Cillian Murphy, por Oppenheimer

Explicando a escolha: Muitos consideram o prêmio, já definido, mas não consigo deixar de pensar que Paul Giamatti certamente tem muitos defensores na Academia, já que não apenas está excelente em Os Rejeitados como foi menosprezado pela Academia várias vezes (é inacreditável que não tenha sido indicado por Sideways ou Anti-Herói Americano). Porém, Murphy venceu o BAFTA e o SAG (Giamatti levou o Critics Choice) e apostar contra ele seria estatisticamente arriscado.

Qual seria meu voto: Paul Giamatti, por Os Rejeitados

Surpresa que não me desagradaria: Jeffrey Wright, por Ficção Americana

Se ganhar, eu mato um: Gosto muito de todas as performances, mas Rustin é um filme tão medíocre que mesmo a ótima atuação de Colman Domingo acaba prejudicada. Dito isso… não, eu não ficaria com raiva caso ele vencesse. (E não, não tenho antipatia de Bradley Cooper e considero sua composição como ator bastante eficaz em Maestro.)

 

ATRIZ COADJUVANTE

Vai vencer: Da´Vine Joy Randolph, por Os Rejeitados.

Explicando a escolha: Uma das categorias já definidas da noite. Ela venceu tudo que poderia; não é aqui que terá sua primeira derrota.

Qual seria meu voto: Da´Vine Joy Randolph, por Os Rejeitados

Surpresa que não me desagradaria: America Ferrera, por Barbie

Se ganhar, eu mato um: Emily Blunt é uma excelente atriz, mas sua personagem em Oppenheimer é frustrante por natureza; jamais vou entender por que ganhou tanta atenção.

 

ATOR COADJUVANTE

Vai vencer: Robert Downey Jr, por Oppenheimer

Explicando a escolha: Outra categoria em que não há qualquer possibilidade de surpresa. Não apenas Downey Jr. venceu tudo até agora como tem uma trajetória que inspira admiração, vencendo a dependência química e se tornando um dos grandes astros da indústria. E seus discursos são sempre divertidos e autodepreciativos.

Qual seria meu voto: Robert De Niro, por Assassinos da Lua das Flores.

Surpresa que não me desagradaria: Ryan Gosling, por Barbie

 

ROTEIRO ADAPTADO

Vai vencer: Ficção Americana

Explicando a escolha: Venceu o BAFTA, o Critics Choice e é possivelmente a única oportunidade que a Academia terá de premiar o filme. Porém, Barbie tem muitos defensores e o fato de Greta Gerwig não ter sido indicada em Direção pode pesar ao seu favor aqui. Para completar, Oppenheimer, como favorito a Melhor Filme, nunca deve ser desconsiderado em uma categoria como essa – e o fato de Nolan ter escrito o roteiro em primeira pessoa é certamente um chamariz

Qual seria meu voto: Pobres Criaturas

Surpresa que não me desagradaria: Zona de Interesse

 

ROTEIRO ORIGINAL

Vai vencer: Anatomia de uma Queda.

Explicando a escolha: O fato de o WGA acontecer só daqui a um mês complicou um pouco as previsões, mas nesta categoria não faria muita diferença, já que as regras do sindicato impediram que o roteiro de Anatomia de uma Queda fosse indicado. Seu roteiro, porém, venceu o BAFTA e, assim como Ficção Americana, esta pode ser a única chance que a Academia terá de premiar um dos filmes com trajetória mais surpreendente do ano.

Qual seria meu voto: Vidas Passadas

Surpresa que não me desagradaria: Os Rejeitados

Se vencer, eu mato um: Embora eu não seja um detrator de Maestro, considerando-o apenas um filme mediano, seu roteiro tem graves problemas estruturais, o que ajudou a comprometer o resultado final.

 

FILME ESTRANGEIRO

Vai vencer: Zona de Interesse

Explicando a escolha: Sempre que um filme recebe dupla indicação, sendo lembrado na categoria principal e na de Estrangeiro, isto o prejudica lá e ajuda aqui. (Parasita foi uma exceção, levando em ambas.) Caso Anatomia de uma Queda houvesse sido indicado aqui, a disputa seria acirrada, mas como a França optou por inscrever O Sabor da Vida, a questão foi resolvida. Assim, o mais seguro é apostar naquele que também venceu o BAFTA.

Qual seria meu voto: Dias Perfeitos (acho Zona de Interesse maravilhoso, mas o longa de Wim Wenders me conquistou em Cannes e não me largou mais)

 

ANIMAÇÃO

Vai vencer: Homem-Aranha: Através do Aranhaverso

Explicando a escolha: Venceu o Annie (o Oscar da Animação), o Critics Choice e o PGA. Sim, O Menino e a Garça é o canto de cisne de Miyazaki, um dos maiores mestres da história da animação, o que torna a corrida menos definida do que seria de outra maneira. As estatísticas, contudo, não indicam uma surpresa.

Qual seria meu voto: Ainda não consegui ver O Menino e a Garça; votaria em Aranhaverso, que amo.

Se vencer, eu mato um: Elementos é um dos piores filmes da história da Pixar; só sua indicação já é um insulto aos demais longas.

 

FOTOGRAFIA

Vai vencer: Oppenheimer

Explicando a escolha: Venceu o BAFTA, o Critics Choice e o prêmio de sua guild (ASC). Perder aqui seria uma aberração estatística.

Qual seria meu voto: Oppenheimer

Surpresa que não me desagradaria: Pobres Criaturas, El Conde ou Assassinos da Lua das Flores

Se vencer, eu mato um: Maestro

 

DESIGN DE PRODUÇÃO

Vai vencer: Pobres Criaturas

Explicando a escolha: Sarah Greenwood, responsável por Barbie, já foi indicada sete vezes e nunca venceu, o que poderia influenciar os eleitores da Academia. Por outro lado, Pobres Criaturas venceu o prêmio de sua guild (ADG) e o BAFTA. Em outras palavras: uma vitória de Barbie não seria exatamente uma surpresa.

Qual seria meu voto: Pobres Criaturas

Surpresa que não me desagradaria: Assassinos da Lua das Flores

Se vencer, eu mato um: Gosto de todos (mesmo não gostando muito de Napoleão)

 

FIGURINO

Vai vencer: Criaturas Barbie. Tsc, ok. Barb… Pobres Criat… Ba.. Po… (joga moeda para cima) Pobres Criaturas

Explicando a escolha: Ambos venceram os prêmios de suas guilds; Pobres Criaturas venceu o BAFTA, mas não acredito que a Academia deixaria um sucesso colossal como Barbie sair sem prêmio algum. Esta é provavelmente a categoria na qual os dois primeiros colocados ficarão mais próximos um do outro; qualquer um dos dois pode vencer.

Qual seria meu voto: Pobres Criaturas

Surpresa que não me desagradaria: Assassinos da Lua das Flores

 

MONTAGEM

Vai vencer: Oppenheimer

Explicando a escolha: Venceu o prêmio de sua guild (ACE), o Critics Choice e o BAFTA. Outra categoria praticamente definida.

Qual seria meu voto: Assassinos da Lua das Flores

Surpresa que não me desagradaria: Anatomia de uma Queda.

Se vencer, eu mato um: Bohemian Rhapsody. Sempre Bohemian Rhapsody. Nunca vou superar.

 

MAQUIAGEM

Vai vencer: Maestro

Explicando a escolha: Estatisticamente, os prêmios de sua guild (MUAH) têm uma taxa de acerto altíssima - e Maestro foi seu grande vencedor. Além disso, é possível que haja um sentimento de que o filme foi desproporcionalmente atacado (e concordo com isso) e que talvez mereça uma consolação. Além disso, não há como negar que o trabalho de Kazu Hiro, Lori McCoy-Bell e Kay Georgiu é excelente.

Qual seria meu voto: Pobres Criaturas

Se vencer, eu mato um: Oppenheimer, porque aí já seria exagero demais

 

TRILHA SONORA

Vai vencer: Oppenheimer

Explicando a escolha: Venceu Critics Choice, BAFTA e o prêmio da SCL (Society of Composers and Lyricists). Por outro lado, além de a trilha de Assassinos da Lua das Flores ser maravilhosa, foi o último trabalho de Robbie Robertson – e a Academia pode querer homenageá-lo postumamente.

Qual seria meu voto: Assassinos da Lua das Flores

Surpresa que me agradaria: Ficção Americana

Se vencer, eu mato um: John Williams é um mestre; portanto, eu jamais me oporia a um prêmio conferido a ele. Porém… sério? Por Indiana Jones e a Relíquia do Destino?

 

CANÇÃO ORIGINAL

Vai vencer: “What Was I Made For?”, de Barbie

Explicando a escolha: Uma coisa é certa: Barbie vencerá este prêmio, já que o único que pode derrotar “What Was I Made For?” é “I´m Just Ken”. Porém, a canção composta por Billie Eilish e Finneas O´Connell não só venceu o SCL como também dois Grammys importantíssimos, incluindo o de Canção do Ano. Além disso, há o fato de que os próprios realizadores contaram várias vezes como “I´m Just Ken” foi composta quase como uma brincadeira, ao passo que “What Was I Made For?” é uma música que aborda o tema do filme, ajudando a defini-lo.

Qual seria meu voto: I´m Just Ken” (porque é a mais divertida e eu sou musicalmente ignorante)

 

SOM

Vai vencer: Oppenheimer

Explicando a escolha: A junção das categorias de Som e Edição de Efeitos Sonoros foi absurda; se antes a tendência da Academia já era votar no mais barulhento, isto só se reforçou depois da medida. O desenho de som de Zona de Interesse, por exemplo, é primordial para o sucesso da narrativa, mas suas derrotas em premiações importantes sugerem que talvez seja sutil demais para ganhar reconhecimento. Já o oposto de sutil reside em Oppenheimer (que de fato tem um ótimo trabalho de desenho sonoro, é preciso reconhecer).

Qual seria meu voto: Zona de Interesse

 

EFEITOS VISUAIS

Vai vencer: Godzilla Minus One (depois de jogar a moeda para o alto)

Explicando a escolha: Você sabia que há um dos indicados nesta categoria, Neil Corboud, concorre por três filmes diferentes (The Creator, Missão: Impossível e Napoleão)? E ainda assim é bastante possível que desafie as estatísticas e saia de mãos vazias, já que a equipe de Godzilla Minus One é vista como uma possível zebra (além disso, é a primeira vez que um longa protagonizado pela lendária criatura japonesa chega ao Oscar). Com relação aos prêmios precursores, Pobres Criaturas venceu o BAFTA, mas não entrou nesta categoria aqui, o que nos deixa um pouco sem referência além das honrarias conferidas por sua guild específica (VES), que foram para The Creator. É uma categoria disputadíssima que deverá ficar entre este último e Godzilla. Joguem a moeda para o alto.

Qual seria meu voto: Não vi justamente os dois favoritos; portanto, abstenho-me.

Surpresa que me agradaria: Pobres Criaturas (e seria uma surpresa e tanto, já que o filme nem está concorrendo)

 

DOCUMENTÁRIO

Vai vencer: 20 Days in Mariupol.

Explicando a escolha: Um filme sobre a invasão da Ucrânia pelos russos? Já venceu sem precisar nem sair de casa.

Qual seria meu voto: As Quatro Filhas de Olfa.

Surpresa que me agradaria: To Kill a Tiger

 

CURTA LIVE ACTION

Vai vencer: The Wonderful Story of Henry Sugar

Explicando a escolha: O que é, o que é? Gosta de simetria, tons pasteis, ramping e nunca venceu um Oscar? Sim, Wes Anderson. E isto pode contar muito nesta categoria este ano.

Qual seria meu voto: The Wonderful Story of Henry Sugar

Surpresa que me agradaria: Knight of Fortune

Se vencer, eu mato um: Red, White & Blue ou The After

 

CURTA DOCUMENTÁRIO

Vai vencer: The Last Repair Shop

Explicando a escolha: Parece ser uma disputa entre The Last Repair Shop e The ABCs of Book Banning, mas como o primeiro conta uma história ambientada em Los Angeles, onde ainda reside boa parte dos eleitores da Academia, isto pode fazer a diferença.

Qual seria meu voto: The Last Repair Shop.

Surpresa que me agradaria: The Barber of Little Rock ou The ABCs of Book Banning

Se vencer, eu mato um: Island in Between

 

CURTA ANIMAÇÃO

Vai vencer: WAR IS OVER! Inspired by the Music of John & Yoko

Explicando a escolha: John Lennon. Preciso dizer mais?

Qual seria meu voto: WAR IS OVER! e Paquiderme são fantásticos; mas, como eu disse, Lennon é Lennon. 

Surpresa que me agradaria: Gosto de todos os indicados; é uma categoria geralmente muito coesa.

 

Lembrando que comentarei a cerimônia ao vivo a partir das 19h30 aqui (que tal clicar no link e apertar o sininho para que uma notificação te lembre de assistir na hora certa?).

(O Cinema em Cena é um site totalmente independente cuja produção de conteúdo depende do seu apoio para continuar. Para saber como apoiar, conhecer as recompensas - além do acesso gratuito a todo nosso conteúdo -, basta clicar aqui. Precisamos apenas de alguns minutinhos para explicar. E obrigado desde já pelo clique!)

Sobre o autor:

Pablo Villaça, 18 de setembro de 1974, é um crítico cinematográfico brasileiro. É editor do site Cinema em Cena, que criou em 1997, o mais antigo site de cinema no Brasil. Trabalha analisando filmes desde 1994 e colaborou em periódicos nacionais como MovieStar, Sci-Fi News, Sci-Fi Cinema, Replicante e SET. Também é professor de Linguagem e Crítica Cinematográficas.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Você também pode gostar de...

Conversa de Cinéfilo
71 - Comic Con Experience 2015: Um Evento Marcado pela Empatia
Conversa de Cinéfilo
80 - O Crítico e seus Críticos
Conversa de Cinéfilo
91 - Fase Nova, Cara Nova